3.30.2017

Autoridade e Submissão no Exército



O EXÉRCITO BRASILEIRO
Há dezenas de cargos diferentes nas três instituições que cuidam da defesa do país – o Exército, a Marinha e a Aeronáutica. Existem 19 cargos diferentes no Exército brasileiro por exemplo.
A base da pirâmide são os soldados. Depois, pela ordem, vêm os cabos, sargentos, tenentes, capitães, majores, tenentes-coronéis, coronéis e os generais. Essas patentes também possuem subdivisões – os sargentos, por exemplo, são classificados em primeiro, segundo e terceiro-sargento. Na carreira militar, as promoções são distribuídas de acordo com o tempo de carreira e o merecimento de cada um, tudo analisado em avaliações de desempenho. Em tempos de paz, o posto mais alto é o do general-de-exército, que chefia as tropas de todo o país.
Em caso de guerra, cria-se um cargo especial, o marechal, que lidera o Exército na hora do conflito e responde diretamente ao presidente da República por suas ações.
O ato de jurar a bandeira nacional faz parte somente do cerimonial das Forças Armadas do Brasil. Os compromissos são os seguintes:
Compromisso dos Recrutas:
“ Incorporando-me (à Marinha do Brasil; ao Exército Brasileiro; ou à Força Aérea Brasileira), prometo cumprir rigorosamente as ordens das autoridades a que estiver subordinado, respeitar os superiores hierárquicos, tratar com afeição os irmãos de armas, e com bondade os subordinados, e dedicar-me inteiramente ao serviço da Pátria, cuja Honra, Integridade, e Instituições, defenderei com o sacrifício da própria vida. ”
— Inciso V, do Artigo 171 do Decreto nº 88.513, de 13 de julho de 1983,
Compromisso dos Reservistas:
“ Dispensado da prestação do Serviço Militar inicial, por força de disposições legais e consciente dos deveres que a Constituição impõe a todos os brasileiros, para com a defesa nacional, prometo estar sempre pronto a cumprir com as minhas obrigações militares, inclusive a de atender a convocações de emergência e, na esfera das minhas atribuições, a dedicar-me inteiramente aos interesses da Pátria, cuja honra, integridade e instituições defenderei, com o sacrifício da própria vida. ”
— Artigo 217 do Decreto nº 57.654, de 20 de janeiro de 1966

O EXÉRCITO DE DEUS NA TERRA
Ninguém considera uma batalha como algo sem importância, insignificante. Ao travar uma batalha, um exército precisa de moral, de união para a luta. A fim de manter esse moral, é preciso eliminar até mesmo a pequena dissensão sobre o menor assunto. Se aquela pequena conversa não for eliminada, o moral será anulado e, consequentemente, a unanimidade será destruída. O resultado é que, por falta do moral, o exército pode perder a batalha. Tudo isso nos mostra a seriedade de um ministério na casa de Deus. É ele quem faz soar a trombeta para o exército sair para a guerra (Nm 10.9; Jz 7.18). O trombetear para a guerra é um símbolo do liberar da Palavra hoje no meio da Igreja. Ignorar a Palavra ministrada é o mesmo que ignorar a trombeta soada para a batalha. Se os soldados começassem a discutir sobre a trombeta em vez de obedecerem ao comando, o inimigo certamente os derrotaria.
Temos de perceber que a Igreja do Senhor é um exército combatente. Estamos fazendo algo mais sério do que qualquer batalha na Terra. Estamos lutando contra Satanás, o inimigo de Deus. A Igreja é o exército de Deus, e isso está muito claro no livro de Efésios, que mostra muitas ilustrações da Igreja, como: o Corpo de Cristo, a família de Deus, o edifício de Deus e o novo homem. Mas, no final do livro, Paulo diz que a Igreja é também um exército para combater o inimigo. Ele nos mostra, claramente, como deve ser a armadura desse exército. A Igreja não é um mero grupo de pessoas reunidas para um culto, mas, sim, o exército de Deus posicionado em um tempo de guerra para trazer o reino de Deus à Terra.
A Igreja, certamente, é o exército do Senhor, e a característica mais marcante de um exército é o respeito à autoridade. Sem autoridade e submissão não há como um exército seguir para a batalha. O mesmo princípio se aplica à Igreja. Quando não há uma ordenação clara de autoridade, não podemos prevalecer contra o inimigo. Onde há rebeldia e insubmissão, na verdade, o inimigo já tem levado vantagem.
Um cidadão pode dizer muitas coisas e criticar o governo ou as forças armadas, mas, quando ele entra no exército e se torna um soldado, ele perde o direito de dizer qualquer coisa. É possível debater e até brigar no senado, mas até um senador, ao se tornar um soldado, precisa ficar quieto. Não há som incerto no exército. A igreja e o ministério não são como o senado, em que qualquer um chega e expressa sua opinião. No ministério, nós somos completamente preenchidos com um espírito de luta, de batalha espiritual.
Isso, evidentemente, não significa que os pastores controlam as pessoas, mas significa que os membros entendem esse princípio e, espontaneamente, se submetem à liderança na Casa de Deus. Entender o espírito de guerra espiritual em que vivemos implica também em reconhecer que o ponto central do exército é a submissão.
Se já temos o espírito de guerra, precisamos, agora, receber o espírito de submissão. Somente pela submissão podemos ser um exército unido na batalha, com um moral elevado pela unanimidade. Muitos não têm percebido como o inimigo, sorrateiramente, tem infectado a igreja com o espírito de rebeldia, disfarçado em críticas e opiniões aparentemente inofensivas e até bem intencionadas. É tempo de nos unirmos para a peleja e eliminarmos toda dissensão entre nós.
Você se considera uma pessoa submissa? Gostaria de expor alguns pontos que mostram as características de uma pessoa realmente submissa. Lembre-se que somente irmãos submissos à autoridade podem ser úteis na obra de Deus, e que a insubmissão destrói a unanimidade, impedindo-nos de avançar no mover do Espírito.
SINAIS DE UMA PESSOA SUBMISSA

A maioria das pessoas na igreja se considera submissa, mas qual é o nível dessa submissão? Se um pastor exorta uma irmã por causa de seu namoro com um incrédulo e ela, simplesmente, rejeita a exortação, ela está sendo rebelde. Se um líder recebe a orientação para ministrar em sua célula o esboço do boletim e, de forma independente, ele resolve seguir outra direção, está sendo rebelde. Mas quantos admitem serem rebeldes nessas situações? Eles imaginam que podem, simplesmente, ignorar a direção do pastor e agir com independência, mas o que não percebem é que aquela rebeldia está minando a unidade da Igreja como exército.
Ignorar orientações, não executar as direções dadas, rejeitar convocações espirituais, falar mal dos pastores ou permitir que outros o façam são expressões comuns de rebeldia entre nós. Mas quantos possuem sensibilidade espiritual para perceber isso?
Qual soldado ignora as ordens de seu comandante? Isso não acontece porque eles entendem o que é submissão. Todavia, no exército da Igreja, às vezes, temos de implorar para alguns obedecerem a uma ordem. Precisamos mostrar a eles todas as vantagens e tudo o que eles podem alcançar se obedecerem à direção dada.
Imagine se um capitão tivesse que parar para persuadir um soldado sempre que precisasse lhe dar uma ordem? Todavia, hoje, na Igreja, as pessoas somente se submetem se concordarem com a direção ou visão da liderança. Ora, se apenas nos submetemos quando concordamos é porque não nos submetemos, apenas fazemos o que achamos melhor. Que o Senhor nos abra os olhos nestes dias para termos revelação da autoridade no Exército de Deus. 

1.    ELE RECONHECE FACILMENTE A AUTORIDADE
Quem tem revelação da importância da autoridade não vive solto e sem restrição. Ele busca se submeter de coração e não apenas por obrigação. Há muitas autoridades na igreja. Elas estão acima de você, e você tem de aprender a submeter-se a elas. Uma pessoa submissa reconhece a autoridade quando a encontra. Ao encontrar a autoridade em outra pessoa, ela procura se submeter imediatamente; não fica analisando com cuidado, antes de se submeter a ela, para depois decidir se tal pessoa é digna de submissão. Se você para pra pensar se uma pessoa é digna de submissão, então, você está lidando com pessoas e não com o princípio da autoridade espiritual que procede de Deus. Se você nunca encontrou alguém suficientemente bom e capaz para ser autoridade sobre você, essa é a prova de que você é rebelde e arrogante. Aquele que é submisso sabe que a sua submissão não depende da perfeição do líder, mas da autoridade que lhe foi delegada. Ele sabe também que aquele que se rebela contra um líder se levanta contra toda a autoridade da igreja local e, ao final, se levanta contra o próprio Deus, pois as Escrituras afirmam que toda autoridade procede de Deus. Paulo diz:
“Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas. De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação” (Rm 13.1,2). 

2.     UMA PESSOA SUBMISSA NÃO É INDEPENDENTE

Ser independente é achar que ninguém é autoridade sobre si e que é autossuficiente e pode fazer qualquer coisa na igreja sem o conselho e a orientação de ninguém. Você consegue perceber a arrogância dessa atitude? Todo rebelde é também muito arrogante. Infelizmente, temos até líderes de célula independentes. Fazem o que bem entendem como se não tivessem que prestar contas a ninguém, rejeitando a instrução e a exortação. Não estou sugerindo que você seja dependente de pessoas ou líderes. O que quero dizer é que você precisa prestar contas dentro da igreja. Não somos independentes, somos ligados uns aos outros como os membros do Corpo.
Aprecio o seu desejo de liderar uma célula, mas é triste quando o vemos abrir uma célula de forma mais independente e desprendida do Corpo. Independência é um grande sinal de rebeldia. Deus não aceita fogo estranho. Lembra-se de Nadabe e Abiú? (Levítico 10.1,2). Eles ofereceram fogo estranho diante de Deus e foram consumidos. Fogo estranho é aquele que tem origem em nossa presunção e independência. Com relação à submissão, o pecado pode ser de dois tipos: presunção e desobediência. Desobediência quando Deus nos manda fazer algo e não fazemos; presunção quando Deus não mandou e fazemos assim mesmo. O trabalho deve ser uma coordenação de autoridade. Deus havia estabelecido Arão como sumo sacerdote e seus filhos sob a sua liderança. Observe o que Levítico fala de Arão e seus filhos. Quando os filhos resolveram oferecer sacrifícios fora da coordenação de seu pai, aquilo se tornou fogo estranho, e o resultado foi morte (Levítico 9.9).
A consequência imediata da rebeldia é a morte. Qualquer pessoa que sirva a Deus sem discernir a autoridade oferece fogo estranho. Quando alguém age de forma independente, fora da coordenação da autoridade na igreja, está oferecendo fogo estranho, mesmo que esteja fazendo algo como liderar uma célula. 

3.     AQUELE QUE CONHECE AUTORIDADE NÃO PROCURA SER AUTORIDADE

Na igreja, sempre existem aqueles que procuram posição, mas fogem da responsabilidade. Há aqueles que procuram status e títulos e presumem que a autoridade seria algo para se desfrutar. Aquele que conhece autoridade não busca ser autoridade, ele entende que, com ela, vem a responsabilidade diante de Deus.
Aquele que é submisso procura cuidar do seu líder porque entende o peso espiritual da função que ele exerce. Ele procura ser alívio e não um peso a mais, procura ser parte das soluções e nunca dos problemas.
Os rebeldes procuram dificultar a vida do líder porque querem que ele pague algum preço pelo status que possui. Isso mostra que a rebeldia sempre vem acompanhada da inveja. Todo rebelde inveja a posição do líder, por isso tenta minar a sua autoridade. Ele supõe que, se provar a incapacidade do líder, todos perceberão que ele é quem deveria estar em uma posição elevada. São pessoas naturais e egocêntricas, sem encargo algum pelo coração de Deus.
Tenha muito cuidado. Todo esse processo começa quando começam a perceber muitos erros cometidos pelo líder e começam a falar como as coisas estão ruins e poderiam ser melhores. No momento seguinte, começam a pensar que seriam capazes de fazer melhor do que o líder. Enchem-se de opiniões e críticas, supondo serem capazes de fazer melhor do que ele. Depois, vem a indagação: “Se eu vejo os erros e posso fazer melhor, por que ele ainda é o líder? Se não posso tomar o lugar dele, também não preciso me submeter a ele”. Esses são os estágios normais do pensamento rebelde. Lembre-se que todo rebelde é também invejoso, como foi Lúcifer, que quis subir acima das mais altas nuvens movido por sua inveja do Altíssimo. 

4.    AQUELES QUE SÃO SUBMISSOS SÃO TARDIOS PARA OPINAR

Aqueles que rapidamente emitem opinião mostram um coração independente e uma vaidade de expor constantemente suas considerações. Tal vaidade e independência mostram um coração que tem dificuldade de se submeter. Aquele que é submisso deseja ouvir a opinião da autoridade antes de expor a sua própria e só o fará se realmente for contribuir para ajudar a resolver problemas.
Pessoas cheias de opiniões, na verdade, querem ter autoridade, mas nem entendem como a autoridade é estabelecida. Uma pessoa torna-se autoridade na obra do Senhor por conhecer a vontade de Deus. Não nos tornamos autoridades baseadas em nossas próprias opiniões e ideias, mas, sim, compreendendo a vontade de Deus. Nunca devemos esperar que as pessoas se submetam à nossa própria opinião, elas nos seguem porque percebem que falamos aquilo que é a vontade de Deus.
A extensão de nossa autoridade é a exata medida do nosso conhecimento da vontade de Deus. Ninguém é reconhecido como autoridade na igreja porque tem muitas opiniões ou ideias inteligentes. Na verdade, o que mais tememos na igreja são aquelas pessoas que se julgam inteligentes e presumem ter ideias e opiniões superiores.
Quando for dar uma opinião, fale da parte de Deus. Ninguém quer saber a sua opinião. Na verdade, nem Deus quer saber a sua opinião, mas todos desejam saber o que vai no coração do Pai. É triste dizer, mas, no mundo todo, o único que aprecia sua opinião é você mesmo. A Casa de Deus é edificada quando alguém fala da parte de Deus. 

5. a PESSOA SUBMISSA É MUITO SENSÍVEL A REBELIÕES E INIQUIDADES

A pessoa que conhece a autoridade sabe o quanto a rebelião contamina. Na verdade, o homem submisso é aquele que foi tratado por Deus em sua rebeldia. Por isso, ele sente temor quando percebe outros agindo dessa forma, pois sabe o custo do tratamento. Mas o que você sente quando alguém age com rebeldia? Fica do lado dela? Concorda com suas ideias? Fica calado? Infelizmente, é um fato da vida que Jacó sempre vai procurar Labão e Maria sempre vai procurar Isabel. Os semelhantes se atraem no mundo espiritual; o profundo atrai o profundo, mas o raso atrai o superficial. Certa vez, um de nossos obreiros recebeu uma cantada maliciosa de uma mulher. Ele ficou indignado e veio me contar o ocorrido. Eu o elogiei pela sua indignação, mas lhe fiz a seguinte pergunta: “Por que a mulher se sentiu à vontade para falar com você essas coisas?”. É a mesma pergunta que faço àqueles irmãos que, constantemente, estão envolvidos com pessoas rebeldes. Se pessoas rebeldes sentem liberdade para falarem mal da autoridade perto de você, vezes seguidas, deve ser porque você concorda com as ideias delas. Mesmo o seu silêncio é uma concordância. Se você não é sensível para perceber quando alguém está sendo rebelde, isso significa que a rebeldia ainda não foi tratada por Deus em sua vida.

6.    aqUELE QUE É SUBMISSO CONSEGUE LEVAR OS OUTROS À SUBMISSÃO

A primeira lição de um servo de Deus é submeter-se à autoridade. Precisamos ver que há autoridade em todo lugar: em casa, na escola, no trabalho, na sociedade, etc. O problema é que muitos veem a submissão como um castigo ou punição, uma vez que Deus disse à Eva, em Gênesis, que ela deveria se submeter a Adão depois da queda. Precisamos, porém, reconhecer que a autoridade já existia antes da queda e, portanto, a submissão também.
Nesse processo de crescimento, precisamos adquirir um espírito de submissão e, também, precisamos ser treinados nele. Somos treinados andando com pessoas submissas. Pessoas submissas passam o espírito de submissão, assim como pessoas rebeldes infectam a Igreja com o espírito de rebeldia.
Tome hoje uma nova posição em sua vida. Rejeite todo espírito sutil de rebeldia. Além disso, posicione-se para guardar a Igreja. Cabe a cada soldado zelar pela unidade do exército. Não admita que ninguém aja com rebeldia dentro de sua célula. O Espírito Santo está trabalhando para produzir em nosso meio uma santa unanimidade. Como exército, o que se espera de nós é um moral forte e elevado e que caminhemos juntos em submissão à autoridade.

:: PR. ALUÍZIO ANTÔNIO





"UNS AOS OUTROS"





UNS AOS OUTROS
Tim Carrikerr


Por isso Eu estou dando a vocês agora um novo mandamento - amem-se tanto UNS AOS OUTROS quanto Eu amo a vocês.

Eu ordeno que se amem UNS AOS OUTROS!

Pois tal como existem muitas partes em nossos corpos, assim também é com o corpo de Cristo. Todos nós somos parte dele, e cada um de nós é necessário para fazê-lo completo, porque carta um de nós tem um trabalho diferente a executar. Assim, pertencemos UNS AOS OUTROS e cada um precisa de todos os demais.

Amem-se UNS AOS OUTROS  com afeição fraternal e tenham prazer em honrar UNS AOS OUTROS .

Desta forma tenham como alvo a harmonia na igreja e procurem se edificar UNS AOS OUTROS
Portanto, acolham-se calorosamente UNS AOS OUTROS na igreja, tal como Cristo acolheu calorosamente vocês; e então Deus será glorificado.

Porque vocês, caros irmãos, receberam a liberdade: não a liberdade para fazer o mal, mas a liberdade para amarem e servirem UNS AOS OUTROS.

Pois toda a Lei pode ser resumida neste único mandamento: "Ame aos outros como você ama a si mesmo". Mas se, em lugar de mostrarem amor entre si, vocês estão sempre fingindo e criticando-se, cuidado! Cuidado para não se destruírem UNS AOS OUTROS.

E vocês também são unidos a Ele, e UNS AOS OUTROS, pelo Espírito, e formam parte desta morada de Deus:

Deixem de mentir UNS AOS OUTROS; falem a verdade, pois somos membros uns dos outros e quando mentimos UNS AOS OUTROS estamos fazendo mal a nós mesmos.

As histórias sujas, a conversa indecente e as brincadeiras inconvenientes - estas coisas não são para vocês. Ao invés disso, relembrem UNS AOS OUTROS a bondade de Deus, e sejam agradecidos.
Honrem a Cristo pela submissão de UNS AOS OUTROS.

Existirá algo assim, como cristãos que se animem UNS AOS OUTROS?  Vocês me amam bastante para quererem ajudar-me? Significa algo para vocês o fato de sermos irmãos no Senhor partilhando o mesmo Espírito? O coração de vocês está cheio de ternura e compaixão?

Então, façam-me verdadeiramente feliz, amando-se UNS AOS OUTROS  e concordando uns com os outros de todo o coração, trabalhando juntos com um só coração, uma só mente e um só propósito.
Não mintam UNS AOS OUTROS; a vida velha que vocês levavam, com toda a sua perversidade, é que fazia essa espécie de coisas; agora ela esta morta e desapareceu.

Lembrem-se do que Cristo ensinou e que as suas palavras enriqueçam a vida de vocês e os tornem sábios; ensinem essas palavras UNS AOS OUTROS e cantem-nas em salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com corações agradecidos.

Mas quanto ao amor fraternal puro que deve existir entre o povo de Deus, eu não preciso falar muito, tenho certeza! Porque o próprio Deus está ensinando vocês a se amarem UNS AOS OUTROS.

Portanto, animem-se UNS AOS OUTROS e edifiquem-se UNS AOS OUTROS, tal como já estão fazendo.

Cuidem que ninguém retribua mal por mal, mas procurem sempre fazer o bem UNS AOS OUTROS e a todo mundo.

Em reconhecimento por tudo quanto Ele fez por nós, suplantemos UNS AOS OUTROS em ser prestativos, em ser bondosos uns para com os outros, e em fazer o bem.

Não descuidemos os nossos deveres na igreja, nem as suas reuniões, como algumas pessoas fazem, mas animemo-nos e nos admoestemos UNS AOS OUTROS , especialmente agora que o dia da sua volta está se aproximando.

Continuem a amar-se UNS AOS OUTROS  com amor fraternal verdadeiro.

Não se critiquem nem falem mal uns dos outros, queridos irmãos. Se vocês fizerem isso, estarão lutando contra a lei de Deus que ordena amarem-se UNS AOS OUTROS, e dizendo que ela está errada. Mas o que vocês têm a fazer não é resolver se esta lei está certa ou errada, e sim obedecê-la.
Confessem suas faltas UNS AOS OUTROS e orem uns pelos outros, a fim de que vocês possam ser curados. A oração fervorosa de um homem justo tem grande poder e resultados maravilhosos.
Agora vocês podem ter amor verdadeiro por todos, porque as almas de vocês foram purificadas do egoísmo e do ódio quando confiaram em Cristo, como seu Salvador; portanto, procurem amar na verdade UNS AOS OUTROS ardentemente, de todo o coração.

E agora, esta palavra a cada um: vocês devem ser como uma grande família feliz, cheios de simpatia uns pelos outros, amando-se UNS AOS OUTROS, com corações ternos e mentes humildes.

Vocês, homens mais jovens, sigam a liderança daqueles que são mais velhos. E todos vocês sirvam UNS AOS OUTROS com um espírito humilde, pois Deus concede bênçãos especiais àqueles que são humildes, mas se opõe àqueles que são orgulhosos.

Ainda assim esse mandamento é sempre novo, e dá resultado para vocês tal como deu para Cristo; e à medida que obedecemos a este mandamento de amarmos UNS AOS OUTROS, desaparece a escuridão em nossas vidas e brilha nelas a nova luz da vida em Cristo.

Porque a mensagem enviada a nós desde o princípio tem sido que devemos amar UNS AOS OUTROS!!!

Queridos amigos, acostumemo-nos a amar-nos UNS AOS OUTROS, pois o amor provém de Deus e aqueles que amam e são bondosos, mostram que são filhos de Deus, e que estão conseguindo conhecê-lo melhor ainda.

Queridos amigos, visto que Deus nos amou tanto assim, é evidente que nós também devemos amar-nos UNS AOS OUTROS.  Porque embora nós nunca tenhamos visto a Deus, quando nos amamos UNS AOS OUTROS, Deus vive em nós e o seu amor em nós torna-se cada vez mais forte.
E agora eu quero lembrar-lhes insistentemente, queridos amigos, o velho preceito que Deus nos deu bem no princípio: que os cristãos devem amar-se UNS AOS OUTROS.

Se amamos a Deus, faremos tudo quanto Ele nos manda. E, desde o começo mesmo Ele nos mandou que amássemos UNS AOS OUTROS.


Fui claro?

2.06.2017

AS ANSIEDADES DE 2016! | Fabio Campos

 

 

 

 

Por Fabio Campos

 

Texto base: “Cuidado para que vossos corações não fiquem pesados...” – Lucas 21.34a

 

O ano de 2016 terminou e com ele foi-se uma série de coisas boas e ruins. Para alguns foi um ano de glórias; para outros (talvez a maioria), foi um ano de enfado e aborrecimento. Todavia, já estão lá trás as felicidades e tristezas; derrotas e vitórias; os ganhos e as perdas.

 

O que importa agora, portanto, é arrazoar pelas as Escrituras o que Deus pediu de nós, porém não fizemos. Com efeito, há uma nova oportunidade de fazer as coisas diferentes.

 

As palavras de Jesus no capítulo 21 do evangelho de Lucas, a partir do versículo 8, trata sobre os sinais de Sua segunda vinda. No verso 34 Jesus faz uma exortação com implicações eternas: “Cuidado para que vossos corações não fiquem pesados pela devassidão, pela embriaguez, pelas preocupações da vida, e não se abata repentinamente sobre vós aquele dia”.

 

A passagem não trata do bem estar das pessoas. As palavras de Jesus não diz respeito auto-ajuda para aconselhar pessoas ansiosas. Cristo tratou das distrações que poderão afetar o nosso destino eterno. Quantas vezes o nosso coração foi tomado pelas “preocupações desta vida” desviando-se do foco. Por vezes, em nossas aflições, buscamos diversas coisas para atenuar o sofrimento causado pelas situações que nos acometeram com suas apunhaladas. Aqui é o ponto!

 

Meus irmãos, nosso inimigo ruge em nosso derredor, pois o seu desejo é nos devorar. Caímos quando buscamos paliativos para alegrar nossa alma cansada, por conta das “ansiedades da vida”. Nosso Senhor Jesus Cristo é o único que pode trazer a verdadeira paz. Estes paliativos, não obstante, nos aprisionam com mais grilhões. Nossa sociedade tornou-se dependente de um bando de preocupações artificiais.

 

O consumo destas coisas, junto com suas práticas, embriaga-nos. Hoje em dia estar ocupado tornou-se uma questão de status. As pessoas têm medo da solitude, pois não querem refletir sobre si mesmas. Não ter coisas ou, estar sozinho para escutar a voz de Deus, para muitos, é um tédio.

 

Jesus apresentou o escape para que possamos se desviar de toda essa loucura: “Ficai acordados, portanto, ORANDO em TODO O MOMENTO, para terdes a força de escapar de tudo que deve acontecer...” (Lc 21.36).

 

Um servo de Deus não pode entrar no alvoroço do mundo. Não devemos nos amoldar ao padrão do presente século, pois, doutro modo, como conseguiremos ser luz para as pessoas? Quais serão as respostas que daremos sobre a razão da nossa esperança, já que o mundo entrou na gente?

 

Eu sei dos desafios que estão à nossa porta; sei também das preocupações em honrarmos os nossos compromissos. Eu tenho os meus temores; talvez mais do que você que está lendo este artigo. No entanto, acima de tudo, eu confio em Deus e faço o meu coração repousar na sua Santa Palavra:

 

“Seja vossa vida isenta de ganância e contentai-vos com o que tendes; porque ele mesmo disse: ‘Nunca te deixarei, jamais de abandonarei’. Desse modo, com plena confiança, digamos: ‘O Senhor é quem me ajuda, não temerei. Que poderá me fazer o homem?” (Hb 13. 5-6).

 

Que a presença de Deus possa ser nosso maior anseio, pois quanto mais tempo passarmos com Ele, mais descobriremos que Ele sempre esteve conosco, em todos os momentos e em todos os lugares. Isso nos livrará de todos os temores e nos ajudará a ter um coração puro e leve para desfrutar de Deus e ser pleno n’Ele. Este é o meu desejo para 2017.

 

Feliz ano para você e para os seus amados.

 

 

Em Cristo Jesus, considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,

 

Soli Deo Gloria!

 

Fabio Campos

fabio.solafide@gmail.com

______________________________

 

Leia no blog Devocionais de Fabio Campos

 

 



As informações contidas nesta mensagem e nos arquivos anexados são para uso restrito, sendo seu sigilo protegido por lei. Caso o destinatário seja outra pessoa, por favor, desconsidere essa mensagem.

12.20.2016

Facebook libera chamadas de vídeo com até 50 pessoas pelo Messenger

Olha aí...dá pra fazer um culto on line ou reunião de célula.

 

Feed: B9
Data de Postagem: segunda-feira, 19 de dezembro de 2016 17:30
Autor: Leonardo Muraoka
Assunto: Facebook libera chamadas de vídeo com até 50 pessoas pelo Messenger

 

Recurso está sendo disponibilizado hoje para iOS e Android

> LEIA MAIS: Facebook libera chamadas de vídeo com até 50 pessoas pelo Messenger


Exibir artigo...



As informações contidas nesta mensagem e nos arquivos anexados são para uso restrito, sendo seu sigilo protegido por lei. Caso o destinatário seja outra pessoa, por favor, desconsidere essa mensagem.

9.22.2016

TOP 10 APPS


Minha intenção era a de listar apenas 10 aplicativos para o seu smartphone com android (os melhores na minha opinião), mas acabei listando 10 “tópicos”...rsrsrsrs






1º SPOTIFY

Todo dia uma nova descoberta (ou redescoberta) musical. Músicas que fizeram parte da sua vida. Músicas novas. Músicas que você jamais ouviu. Músicas que você ouve e nunca se cansa delas, em versões diferentes. Vale a  assinatura mensal, pelas viagens sonoras. Mais de 30 milhões de faixas para explorar. Ouça pelo computador, celular, playstation, chromecast, etc.  Adeus pirataria!

Ah... você não pode esquecer de instalar também o MUSIXMATCH, para acompanhar as músicas com as letras.

Dica: Grave suas músicas favoritas (pelo Spotify para computador) com o programa “FairStars MP3 Recorder”. Monte seus próprios álbuns (escolha uma foto de capa) e os ouça com o app POWERAMP (simplesmente o melhor player para android!).

Adicionalmente você também pode instalar o SOUNDCLOUD e o app RÁDIOS NET (para ouvir rádios do mundo inteiro). 

E se quiser ouvir depois (offline) algo do You Tube, primeiro converta o vídeo por esse link: http://www.clipconverter.cc/pt/

Boas audições!


2º POCKET (ou INSTAPAPER)

Você monta sua própria revista (ou jornal). Você que seleciona as manchetes, os artigos, de SEU interesse, para leitura posterior off line. Uma revista customizável! Leia pelo celular, tablet ou pela web. Bom demais! Seja o editor da sua revista pessoal.

3º FACEBOOK, INSTAGRAM e WHATSAPP

Redes sociais que te mantem em contato com amigos que você fez durante sua vida. Amigos de infância, do colégio, vizinhança, empregos pelos quais passou, comunidades, etc. Compartilhamento de imagens, áudios, vídeos. É o seu canal particular e os canais de comunicação com seus amigos. Dá pra bancar uma de jornalista, publicando o que é de interesse geral (ou particular). Dá pra conversar com alguém de quem se importa. Dá pra rir, passar o tempo (muuuito tempo) ali, checando os posts, a linha do tempo das pessoas e retendo o que é bom.

Obs: A melhor comunicação entre seu PC e seu CELULAR é o app PUSHBULLET (você digita pelo PC e manda o texto ou hyperlink por ele). E o melhor app para limpar as mensagens de seu WHATSAPP é o app WCLEANER!


4º  BEYOND POD e TWITTER

Mantenha-se informado assinando RSS FEEDS dos seus sites favoritos. Dos notíciários do país e do mundo. Em texto ou áudio (podcasts). Acompanhe pelo Microsof Outlook (PC) ou pelo Beyond Pod (celular).

Saiba do que está acontecendo instantaneamente pelo Twitter. Siga seu artista favorito. Interaja, publique, retweet, acompanhe os assuntos do momento!


5º NETFLIX, TELECINE PLAY, HBO.GO, GLOBO PLAY e CRUNCHYROLL

Se tiver tempo, wi fi disponível (e bateria cheia) assista à programação desses canais (se for assinante). Qualidade e conteúdo. Desnecessário citar aqui o app oficial do YOU TUBE né?



6º LEITOR UB (UB READER EPUB), ADOBE ACROBAT (PDF READER) e WPS OFFICE.

Para os amantes de livros. Salve sua coleção de epubs e livros em PDF (ou DOC) e acesse usando esses programas no celular ou tablet (tudo off line). O formato em epub é o melhor! Muito conteúdo em arquivos levíssimos. Outros apps do gênero são o AMAZON KINDLE e o GOOGLE PLAY LIVROS. Para audiobooks sugiro o  SMART AUDIOBOOK.

7º  PIXLR

Para editar suas fotos você não precisará de mais nenhum app além desse. Mas se esse não for suficiente pra você, instale também o PRISMA. E para brincar com seus amigos fazendo montagens com os rostos deles, indico o engraçadíssimo FACE IN HOLE.

8º JOGOS

Para os saudosistas, indico os emuladores de Atari 2600, Nintendo, SEGA, PSP e Playstation 1. São eles: ClassicBoy, SuperRetro16, Ataroid, Atari Greatest Hits, PPSSPP entre outros.

Para uma partida rápida on line (multiplayer), indico o viciante SOCCER STARS, HOCKEY STARS, BASKETBALL, 8 BALL POOL e BOWLING KING (todos da MINICLIP!). Outro bom é o QUIZ UP (jogo de perguntas).

Outros jogos que eu tenho instalado no meu smartphone são: ASPHALT NITRO, DREAM LEAGUE SOCCER, PINBALL ROCKS e GLOW HOCKEY. Nada de jogo pesado comprometendo a memória.

9º FUTEBOL

Os melhores apps pra você acompanhar seu time (e os gols pelo Brasil e mundo) são esses: SCORES & VÍDEO, FOOTBALL HIGHLIGHTS e SPORTV GOLS.


10º FÉ

Nem só de diversão vivemos. A espiritualidade não pode ser esquecida. Pelo contrário, deve ser aprimorada.

As melhores bíblias que encontrei são: BÍBLIA ACRF (ALMEIDA CORRIGIDA FIEL), MY SWORD BIBLE (múltiplas línguas), DEIVERBUM (Bíblia de Jerusalém),  BÍBLIA STRONG (com o significado das palavras no Hebraico e Grego), BÍBLIA COMENTADA POR VERSÍCULO, BÍBLIA APOLOGÉTICA CACP, e as bíblias NVI - BÍBLIA VIVA e NTLH (de Felipe Frizeiro).

Adicionalmente instale um dicionário bíblico, um hinário e o aplicativo MINHAS ORAÇÕES.

Pra fechar esse artigo super indico o app HI-Q MP3 RECORDER, para gravar as palestras (e músicas) de sua comunidade cristã.
Ou as aulas (reuniões) que participa.


RM 



8.23.2016

EASY, NORMAL OU HARD?


Seja sincero. Você se considera cristão? De verdade?
Sim? Então veja abaixo em qual nível você está?


CRISTÃO NÍVEL “EASY”

Frequenta a igreja somente aos domingos e às vezes falta.
Está convencido da verdade do Evangelho mas não quer compromisso.
Não ora muito não, nem lê a Bíblia, embora conheça alguns poucos versículos.
Tem amizade com o mundo. Pouco se diferencia dos ímpios em atitudes e palavras, embora tenha consciência do “pecado” e siga o movimento “gospel”.  
Não evangeliza ninguém, pois tem vergonha, timidez ou “respeita”a religião de cada um.
Busca satisfação pessoal, entretenimento (diversão) e prosperidade (egoísta).  
Acredita em tudo que é dito pelo pastor da igreja sem questionar.
Combate o dízimo pra não ter que “dar dinheiro na igreja”.
Oferta (raramente) moedas nos cultos (esmolas).
Ainda tem muito do velho homem (mente, trai, engana e mantem vícios).  
Troca de igreja ou se afasta definitivamente por qualquer motivo.


CRISTÃO NÍVEL “NORMAL”

Participa ativamente do Culto e das demais atividades/eventos da igreja local (é voluntário).
Não somente está convencido da verdade do Evangelho, como é convertido.  
Adora ao SENHOR e é dizimista e ofertante.
Ora todos os dias, jejua de vez em quando e estuda a Palavra de Deus (já cursou ou gostaria de cursar Teologia).
Já evangelizou seus vizinhos, parentes e colegas de trabalho. Já fez capelania e trabalhos sociais como entrega de roupas de frio, cobertores e sopas para moradores de rua.
Participa dos cultos durante a semana também, reuniões de orações e grupos pequenos e algumas vigílias durante o ano.
Busca crescer na graça e no conhecimento de DEUS e é crítico quanto ao que é ensinado nos púlpitos.
Aceita ser pastoreado, orientado dentro da Palavra e recebe toda correção com amor e temor.
Tem ministério na igreja, mas divide seu tempo com sua carreira profissional (trabalho secular).
Entende o chamado de DEUS, mas não se sente confortável em uma mudança radical em sua vida.


CRISTÃO NÍVEL “HARD”

Entregou TUDO pra DEUS, sua vida, seu tempo, recursos, tudo. É pastor ou missionário em tempo integral.
Depende exclusivamente de DEUS pra tudo, onde morar, o que vestir, até para ter o que comer.
Está disposto a ir a qualquer lugar do mundo para pregar o Evangelho, deixando TUDO pra trás...
Já ganhou dezenas, centenas, talvez milhares de almas pro Reino.
Conhece profundamente a Bíblia de capa a capa. Não somente fez o seminário, como dá aulas.
Jejua e ora mais do que o habitual no meio cristão.
Abre igrejas, pontos de pregação, escolas ou creches cristãs, sobe morro de favela, prega pra traficante/drogados/bandidos e é engajado em projetos sociais de combate a dependência química, fome ou abandono (refugiados inclusive).    
É perseguido e odiado por seguir a Jesus.
Está disposto a morrer (como mártir) queimado vivo, crucificado ou degolado, antes de negar a sua Fé.


E então?
Em qual nível você está???



RM







8.12.2016

ENC: Eike Batista se converte na Assembleia de Deus; veja

 

Feed: Folha de S.Paulo - Em cima da hora - Principal
Data de Postagem: quinta-feira, 11 de agosto de 2016 11:17
Autor: Folha de S.Paulo - Em cima da hora - Principal
Assunto: Eike Batista se converte na Assembleia de Deus; veja

 

O empresário Eike Batista foi a um culto da igreja evangélica Assembleia de Deus, em Rocha Miranda, na zona norte do Rio, na noite de segunda (8). Leia mais (08/11/2016 - 11h17)


Exibir artigo...



As informações contidas nesta mensagem e nos arquivos anexados são para uso restrito, sendo seu sigilo protegido por lei. Caso o destinatário seja outra pessoa, por favor, desconsidere essa mensagem.

7.29.2016

É Jesus um mito? É Jesus apenas uma cópia dos deuses pagãos de outras religiões antigas?

É Jesus um mito? É Jesus apenas uma cópia dos deuses pagãos de outras religiões antigas?

Resposta:
Há uma série de vozes alegando que os relatos de Jesus como registrados no Novo Testamento são apenas mitos e foram o resultado dos escritores pegando emprestado contos da mitologia pagã, tais como as histórias de Osíris, Dionísio, Adonis, Attis e Mitra. A alegação é que essas figuras mitológicas são essencialmente a mesma história que o Novo Testamento atribui a Jesus Cristo de Nazaré. Como Dan Brown afirma em O Código Da Vinci, "Nada no Cristianismo é original."

No entanto, quando os fatos são examinados, a suposta ligação entre o Novo Testamento e a mitologia é facilmente desmentida. Para descobrir a verdade sobre essas afirmações particulares e outras parecidas, é importante (1) descobrir a história por trás das afirmações, (2) analisar as representações históricas reais dos falsos deuses sendo comparados a Cristo, (3) expor as falácias lógicas que os autores estão fazendo, e (4) olhar por que os evangelhos do Novo Testamento podem ser confiados por descreverem com precisão o verdadeiro e histórico Jesus Cristo.

Em primeiro lugar, as alegações de que Jesus era um mito ou um exagero originaram-se nos escritos dos teólogos liberais alemães do século 19. Eles essencialmente alegaram que o Cristianismo era apenas uma cópia da adoração generalizada dos deuses da fertilidade morrendo e ressuscitando em vários lugares -Tamuz na Mesopotâmia, Adônis na Síria, Attis na Ásia Menor e Osíris no Egito. Nenhum destes escritos chegaram a avançar no âmbito acadêmico ou do pensamento religioso porque as suas afirmações foram investigadas por estudiosos e julgadas completamente infundadas. Foi somente no final século 20 e início do 21 que estas afirmações foram ressuscitadas, principalmente devido ao surgimento da internet e da distribuição em massa de informação que não tem qualquer fundamento ou responsabilidade histórica.

Isso nos leva à próxima área de investigação - os deuses mitológicos da antiguidade realmente espelham a pessoa de Jesus Cristo? Como exemplo, o filme Zeitgeist faz estas afirmações sobre o deus egípcio Hórus:

• Ele nasceu em 25 de dezembro de uma virgem - Isis Maria
• Uma estrela no Oriente proclamou a sua chegada
• Três reis foram adorar o "salvador" recém-nascido
• Aos 12 anos de idade, quando ainda um menino, ele tornou-se um professor prodígio
• Aos 30 anos ele foi "batizado" e começou um "ministério"
• Hórus tinha doze "discípulos"
• Hórus foi traído
• Ele foi crucificado
• Ele foi sepultado por três dias
• Ele foi ressuscitado depois de três dias

No entanto, quando os escritos atuais sobre Hórus são competentemente analisados, isto é o que encontramos:

• Hórus nasceu a Ísis; não há qualquer menção na história de sua mãe sendo chamada de "Maria". Além disso, Maria é a nossa forma latinizada de seu nome verdadeiro "Miryam" ou Miriam. "Maria" não foi nem usado nos textos originais das Escrituras. • Ísis não era virgem; ela era a viúva de Osíris, com quem concebeu Hórus.
• Hórus nasceu durante o mês de Khoiak (outubro/novembro) e não no dia 25 de dezembro. Além disso, a Bíblia não menciona a data exata do nascimento de Cristo.
• Não há qualquer registro de três reis visitando Hórus em seu nascimento. A Bíblia nunca afirma o real número de magos que foram ver Cristo.
• Hórus não é um "salvador" de qualquer forma e nunca morreu por ninguém.
• Não há relatos de Hórus sendo um professor aos 12 anos de idade.
• Hórus não foi "batizado". O único relato de Hórus que envolve a água é uma história onde ele é despedaçado e Ísis pede ao deus crocodilo que o pesque da água onde havia sido colocado.
• Hórus não tinha um "ministério".
• Hórus não tinha 12 discípulos. De acordo com as narrativas, Hórus tinha quatro semi-deuses que eram seguidores e algumas indicações de 16 seguidores humanos e um número desconhecido de ferreiros que entraram em batalha com ele.
• Não existe nenhuma narrativa de Hórus sendo traído por um amigo.
• Hórus não morreu por crucificação. Há vários relatos da morte de Hórus, mas nenhum deles envolve a crucificação.
• Não existe nenhum relato de Hórus sendo sepultado por três dias.
• Hórus não foi ressuscitado. Não existe nenhuma narrativa de Hórus saindo do túmulo com o mesmo corpo de quando entrou. Alguns relatos narram Hórus/Osíris sendo trazidos de volta à vida por Ísis e sendo o senhor do submundo.

Então, quando comparados lado a lado, Jesus e Hórus têm pouca, ou nenhuma, semelhança um com o outro. Uma outra comparação popular feita por aqueles que afirmam que Jesus Cristo é um mito é entre Jesus e Mitra. Todas as declarações acima acerca de Hórus são aplicadas a Mitra (isto é, nascido de uma virgem, sendo crucificado, ressuscitando em três dias, etc.). Entretanto, o que os textos antigos realmente dizem sobre Mitra?

• Ele nasceu de uma rocha sólida e não de qualquer mulher.
• Ele lutou primeiro com o sol e em seguida com um touro primitivo, o que é considerado o primeiro ato da criação. Mitra matou o touro, o qual se tornou a base da vida para a raça humana.
• O nascimento de Mitra foi celebrado no dia 25 de dezembro, juntamente com o solstício de inverno.
• Não há menção dele sendo um grande professor.
• Não há menção de Mitra tendo 12 discípulos. A ideia de que Mitra teve 12 discípulos pode ter vindo de um mural em que Mitra é cercado por doze signos do Zodíaco.
• Mitra não teve uma ressurreição corporal. Diz o mito que Mitra concluiu sua missão terrena e em seguida foi levado para o paraíso em uma carruagem, vivo e bem. O escritor cristão primitivo Tertuliano escreveu sobre os seguidores de Mitra reencenando as cenas de ressurreição, mas ele escreveu sobre isso ocorrendo bem depois dos tempos do Novo Testamento, por isso, se qualquer plágio foi feito, o culto de Mitra foi quem copiou o Cristianismo.

Mais exemplos podem ser dados de Krishna, Átis, Dionísio e outros deuses mitológicos, mas o resultado é o mesmo. No final, o Jesus histórico, como retratado na Bíblia, é completamente original. As semelhanças reivindicadas são muito exageradas. Além disso, embora a crença em Hórus, Mitra e outros preceda o Cristianismo, há muito pouco registro histórico das crenças pré-cristãs dessas religiões. A grande maioria dos primeiros escritos sobre essas religiões são datadas dos séculos III e IV dC. É ilógico e anti-histórico reivindicar que as crenças pré-cristãs nessas religiões (das quais não há registro) foram idênticas às crenças pós-cristãs nestes grupos (das quais há registo). É mais historicamente válido atribuir eventuais semelhanças entre as religiões e o Cristianismo às religiões copiando as crenças cristãs sobre Jesus e dando esses atributos aos seus próprios deuses/salvadores/fundadores em uma tentativa de parar o rápido crescimento do Cristianismo.

Isso nos leva a analisar a próxima área: as falácias lógicas cometidas por aqueles que afirmam que o Cristianismo pegou emprestado das misteriosas religiões pagãs. Duas falácias em particular são evidentes -- a falácia da falsa causa e a falácia terminológica. Se uma coisa precede a outra, isso não significa que a primeira causou a segunda. Esta é a falácia da falsa causa. Mesmo se as narrativas pré-cristãs de deuses mitológicos muito se assemelhassem a Cristo (e não se assemelham), isso não significa que elas causaram os escritores do evangelho a inventar um falso Jesus. Afirmar tal coisa seria como dizer que a série de TV Jornada nas Estrelas causou o programa de foguetes espaciais da NASA.

A falácia terminológica ocorre quando os termos são redefinidos para provar um ponto, quando na verdade esses termos não significam a mesma coisa quando comparados à sua fonte. Assim, por exemplo, o filme Zeitgeist diz que Hórus "iniciou o seu ministério", mas Hórus não tinha um ministério - nada parecido com o ministério de Cristo. Os que afirmam que Jesus e Mitra são o mesmo falam sobre o "batismo" que iniciava os possíveis aderentes ao culto de Mitra, mas o que realmente acontecia? Os sacerdotes Mitra (usando um ritual também realizado pelos seguidores de Átis) suspendiam um touro sobre um buraco, colocavam aqueles que queriam pertencer ao culto naquele buraco e então cortavam o estômago do boi, cobrindo os iniciantes com sangue. Tal coisa não tem semelhança alguma com o batismo cristão, no qual uma pessoa vai debaixo d’água (simbolizando a morte de Cristo) e depois sai da água (simbolizando a ressurreição de Cristo). Entretanto, os defensores da posição do Jesus mitológico enganosamente usam o mesmo termo para descrever ambos na esperança de unir os dois.

A última questão a ser examinada acerca deste assunto é a veracidade do próprio Novo Testamento. Embora muito tenha sido escrito sobre este tema, nenhum trabalho da antiguidade tem mais evidências no que diz respeito à veracidade histórica do que o Novo Testamento. O Novo Testamento tem mais escritores (nove), melhores escritores e escritores que viveram mais perto do que estava sendo registrado do que qualquer outro documento da época. Além disso, a história comprova o fato de que esses escritores enfrentaram a morte para afirmar que Jesus tinha ressuscitado dos mortos. Embora alguns escolham morrer por uma mentira que acham ser verdade, ninguém morre por uma mentira que sabe ser falsa. Pense nisso -- se alguém estivesse prestes a crucificá-lo de cabeça para baixo, como aconteceu com o apóstolo Pedro, e tudo o que você tivesse que fazer para salvar a sua vida fosse renunciar uma mentira que você tinha vivido conscientemente, o que você faria?

Além disso, a história tem mostrado que são necessárias pelo menos duas gerações antes de um mito poder entrar em um relato histórico. Por quê? Porque as testemunhas oculares podem refutar o erro registrado. Os que viviam naquela época poderiam ter refutado os erros do autor e expor o trabalho como sendo falso. Todos os evangelhos do Novo Testamento foram escritos durante a vida das testemunhas oculares, com algumas das epístolas de Paulo sendo escritas tão cedo quanto 50 dC. Essas datas servem como um mecanismo essencial de proteção contra eventuais falsidades sendo aceitas e difundidas.

Finalmente, o Novo Testamento atesta o fato de que a representação de Jesus não foi confundida com a de qualquer outro deus. Quando confrontados com o ensinamento de Paulo, os pensadores da elite de Atenas disseram isto: "’O que está tentando dizer esse tagarela?’ Outros diziam: ‘Parece que ele está anunciando deuses estrangeiros’, pois Paulo estava pregando as boas novas a respeito de Jesus e da ressurreição. Então o levaram a uma reunião do Areópago, onde lhe perguntaram: ‘Podemos saber que novo ensino é esse que você está anunciando? Você está nos apresentando algumas ideias estranhas, e queremos saber o que elas significam’” (Atos 17.18-20). É evidente que se as narrativas sobre Jesus fossem simplesmente um arranjo de contos de outros deuses, os atenienses não teriam se referido a elas como sendo "novas". Se deuses morrendo e ressuscitando fossem abundantes no primeiro século, por que quando o apóstolo Paulo pregou sobre Jesus ressuscitando dos mortos em Atos 17 os epicuristas e estoicos não comentaram: "Ah, assim como Hórus e Mitra"?

Em conclusão, as alegações de que Jesus não era nada mais do que uma cópia dos deuses mitológicos originaram-se com autores cujas obras (1) têm sido descartadas pelo mundo acadêmico; (2) contêm falácias lógicas que prejudicam a sua veracidade e não podem ser comparadas com os evangelhos do Novo Testamento, os quais têm resistido quase 2.000 anos de intenso escrutínio. Os supostos paralelos desaparecem quando comparados com os textos originais históricos. Semelhanças entre Jesus e os vários deuses mitológicos só podem ser defendidas ao empregar-se descrições enganosas e seletivas.

Jesus Cristo permanece único na História, com Sua voz elevando-se acima de todos os deuses falsos e continuando a fazer a pergunta que, em última análise, determina o destino eterno de cada pessoa: "Quem dizeis que eu sou?" (Mateus 16.15)


__._,_.___


Enviado por: "barbosa" <pastorbarbosaneto@yahoo.com.br>


 



.


__,_._,___



As informações contidas nesta mensagem e nos arquivos anexados são para uso restrito, sendo seu sigilo protegido por lei. Caso o destinatário seja outra pessoa, por favor, desconsidere essa mensagem.

6.10.2016

Deixe de MiMiMi !!!

 

Quando a gente para de reclamar as coisas melhoram.

 

Quando a gente IGNORA os probleminhas da vida, até porque tem gente que tem “problema de verdade”, as coisas melhoram.

 

Hoje o SENHOR concedeu-me VIGOR como diz a PALAVRA:

 

ELE dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum VIGOR. Isaías 40:29

 

O caminho dos ímpios é como a escuridão, nem sabem em que tropeçam.

Filho meu, atenta para as minhas palavras às minhas razões inclina o teu ouvido. Não as deixes apartar-se dos teus olhos, guarda-as no íntimo do teu coração.
Porque são vida para os que as acham, e SAÚDE para todo o seu corpo!


Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida. Desvia de ti a falsidade da boca, e afasta de ti a perversidade dos lábios. Os teus olhos olhem para a frente, e as tuas pálpebras olhem direto diante de ti. Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados! Não declines nem para a direita nem para a esquerda, retira o teu pé do mal!!!
Provérbios 4:19-27

 

Quando li a PALAVRA, satisfiz a alma cansada, e toda a alma entristecida saciei. Jeremias 31:25

 

DEUS ajudou-me com mão forte, e com braço estendido, porque a sua benignidade dura para sempre! Salmos 136:12

 

Os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias. Correrão, e NÃO SE CANSARÃO, caminharão, e não se fatigarão! Isaías 40:31

 

Sustenta-me conforme a tua palavra, para que viva, e não me deixes envergonhado da minha esperança. Salmos 119:116

 

Deus é a minha fortaleza e a minha força, e ele perfeitamente desembaraça o meu caminho. 2 Samuel 22:33

 

Eu me deitei e dormi, e depois acordei, porque o Senhor me sustentou! Salmos 3:5

 

Amém

 

 



As informações contidas nesta mensagem e nos arquivos anexados são para uso restrito, sendo seu sigilo protegido por lei. Caso o destinatário seja outra pessoa, por favor, desconsidere essa mensagem.

5.18.2016

“PORQUE CONHEÇO OS SEUS SOFRIMENTOS”

 

 

 

"PORQUE CONHEÇO OS SEUS SOFRIMENTOS"

 

Por Fabio Campos

 

Texto base: "Disse o Senhor: 'De fato tenho visto a opressão sobre meu povo no Egito, e também tenho escutado o seu clamor, por causa dos seus feitores, e sei quanto eles estão sofrendo.'" – Êxodo 3.7 (NVI)

 

 

É ruim sofrer! Creio que ninguém gosta de ser oprimido, humilhado, rejeitado, injustiçado. Mas o sofrimento, de alguma forma, é parte da vida de todos os seres humanos. C. S. Lewis, em sua obra "O problema do sofrimento", mostra também como o próprio ser humano é responsável por grande parte do sofrimento que há no mundo: ele afirma que quatro quintos dos sofrimentos que enfrentamos são produzidos ou por nós mesmos ou por nossos semelhantes. 1

 

O povo de Deus sempre foi perseguido, oprimido e humilhado. Desde o Egito até a era do Império Romano, perseguições e opressões têm acompanhado o povo que fora separado por Deus. Cartas e mais cartas foram escritas para encorajamento de santos em meio ao martírio. Foi dentro de um contexto de escravidão e serviço pesado que Deus interferiu contra o sofrimento imposto sobre os israelitas: "Porque conheço os seus sofrimentos".

 

Os egípcios os sujeitaram a cruel escravidão (Ex 1.13). Com lágrimas e suor, o povo construiu para faraó as cidades-celeiros de Pitom e Ramassés (Ex 1.11). Enquanto o povo gemia, faraó sorria. Desfrutava do império construído sob o sangue dos judeus. Mas o mal não prevaleceria por todo sempre. A justiça tarda mas não falha. Deus levantou um libertador. Moisés saiu das águas e, conduzido por Deus, de forma Soberana, fez o que deveria ser feito: emancipou o povo das garras do rei tirano do Egito.

 

Deus ouviu o seu o povo, pois disse: "Porque conheço os seus sofrimentos".

 

Deus conhece nosso sofrimento. Ele é transcendente, mas também, imanente. Ele sofre conosco, pois é compassivo (compassione; "sofrer junto.) Jesus não deixou de ser Deus porque chorou (Jo 11.35). Por isso é chamado de Emanuel, Deus Conosco!

 

O sofrimento, entretanto, tem o seu lado bom. É pedagógico. Aprendemos mais nas derrotas do que nas vitórias. C. S. Lewis de forma brilhante diz que, o sofrimento é o megafone de Deus para despertar um mundo surdo 2. Davi afirmou que "foi-bom ter passado pela aflição, para que aprendesse os decretos de Deus" (Sl 119.71). Paulo disse para nos gloriamos também nas tribulações, pois isso nos acresceria perseverança, caráter aprovado, esperança e plena convicção do amor de Deus que fora derramado em nossos corações (Rm 5.3-5).

 

Não estou aqui endossando o masoquismo (os que se agradam da dor); também não fomento o ensino dos estoicos impassivos e sofridos. O cristão tão somente não crê no fortuito dos acontecimentos. Não há coincidência, sorte, azar ou determinismo para o crente em Jesus. Deus fará com que tudo, até o mal que lhe assola, se transforme em bem e corrobore com o propósito pelo qual Ele nos chamou. A fé deixa Deus ser Deus.

 

Existe algo, no entanto, que pode nos trazer esperança: Deus não está do lado do opressor. Ele vê as lágrimas dos oprimidos e sabe que o "poder" está do lado de seus opressores. Como não há quem os consoles (Ec 4.1), Deus os garante (Sl 82.3-4): "Eu habita com o contrito e humilde de coração". O Senhor toma partido dos menos favorecidos (viúva, pobre, órfã, estrangeiro, Tg 1.27).

 

Deus conhece o sofrimento do seu povo. O desafio consiste em se sentir amado por Deus quando as coisas não estão em ordem (do modo como planejamos). Precisamos crer no Seu amor quando tudo mais vai mal.

 

Caso você esteja sofrendo por consequência da vaidade de alguém, tipo a do Faraó, Deus já possui em sua agenda o dia do término disso, como diz as Escrituras: "... não procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: 'Minha é a vingança; eu retribuirei', diz o Senhor" (Rm 12.9).

 

Como afirma Lewis, foi o ser humano, e não Deus, que produziu torturas, açoites, prisões, escravidão, armas, baionetas e bombas. É pela avareza e pela estupidez humana, e não pela sovinice da natureza, que temos pobreza e exploração do trabalho. 3

 

Deus está atento a tudo. Seus olhos estão sobre todos, justos e injustos!

 

Nossa parte é confiar para que, de alguma forma, possamos transformar nosso dia mau em oportunidades para o heroísmo, pois muitos assim o fizeram e, aproveitando o momento, se surpreenderam colheram os seus frutos de justiça.

 

 

Considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,

 

Soli Deo Gloria!

 

Fabio Campos

fabio.solafide@gmail.com

_______________________

Citações:

 

1 LEWIS, C. S. O problema do sofrimento. Editora Vida, p. 12.

2 Ibid, p. 106.

3 Ibid, p. 101.


__,_._,___



As informações contidas nesta mensagem e nos arquivos anexados são para uso restrito, sendo seu sigilo protegido por lei. Caso o destinatário seja outra pessoa, por favor, desconsidere essa mensagem.